Blog / Notícias, dicas e todas informações do Programa.

Tire suas dúvidas sobre tipos de óleos para frituras

sábado, 17 de março de 2018

De acordo com o Ministério da Saúde, os óleos vegetais são considerados de qualidade nutricional superior às gorduras animais. Isso porque possuem menor quantidade de gordura saturada e maior de insaturada. Então, devem ter prioridade na cozinha.

Os óleos mais utilizados são os de soja, milho, girassol e canola, e a forma de preparo dos alimentos é fator decisivo na hora de escolher qual produto utilizar.

No caso das frituras, o óleo é submetido a altas temperaturas em presença de ar e água. Essa condição favorece a formação de substâncias tóxicas, altera as propriedades nutricionais do produto, provoca a perda de antioxidantes e causa transformações, como aumento da viscosidade e alteração da cor e do cheiro.

Pensando em reduzir esses danos, os óleos que apresentam maior resistência às altas temperaturas (aquele que têm o ponto de fumaça mais alto) são os mais indicados para esse tipo de preparação.

São eles: óleos de soja, palma e girassol (ponto de fumaça entre 226 e 232 graus); óleo de canola (213 a 223 graus), de milho (204 a 212 graus) e azeite de oliva (175 a 190 graus).

Vale a pena conhecer (e aplicar na cozinha) algumas orientações da Anvisa sobre o uso correto dos óleos:

• Temperatura máxima para fritura de 180 graus, ou seja, sem produzir fumaça.

• Fritar por longos períodos, em vez de utilizar a fritadeira por vários períodos curtos.

• Quando a fritadeira não estiver sendo utilizada, deve ficar parcialmente tampada, evitando o contato do óleo quente com o oxigênio. Isso evita sua oxidação.

• O óleo deve ser filtrado a cada término de uso, retirando os resíduos visíveis.

• Em intervalos de uso, o óleo deve ser armazenado em geladeira, em recipientes tampados e protegidos da luz.

• Evitar completar o óleo em uso com óleo novo, devendo-se descartar as sobras de óleo.

• O óleo deve ser descartado quando houver formação de espuma e fumaça durante a fritura, escurecimento intenso e percepção de odor e sabor não característicos.

Lembrando: consumir alimentos fritos com frequência é prejudicial à saúde, favorecendo o ganho de peso, surgimento de doenças cardiovasculares, artrite, disfunções gastrointestinais e envelhecimento precoce. Então, evite!

Voltar